quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Ler, elogiar, abraçar, saber perdoar, senso de gratidão...

Hábitos são atitudes que podem ser criadas e assumidas. Portanto, podemos criar um mundo novo, uma vida melhor tanto pessoal quanto coletivamente, se de fato vivenciarmos em nosso cotidiano essas práticas. Isto nos leva a sermos bem-sucedidos, felizes, mas contribui também  para que o mesmo possa ocorrer com os que nos cercam ou convivem convivem e interagem conosco.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)



Fonte:https://media.licdn.com/media-proxy/ext?w=800&h=800&f=none&hash=ZTTC7X8124%2BeNYuXEItsbDJG6%2B4%3D&ora=1%2CaFBCTXdkRmpGL2lvQUFBPQ%2CxAVta9Er0Vinkhwfjw8177yE41y87UNCVordEGXyD3u0qYrdfyXhfpLceLrzuVtHKS8clAZnLfL6RGO3D5TpLNvtedx12pDkJI27dA4BYBI3iSdF_NQ8

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Vida, Luz e Esperança

Atentado no World Trade Center:Fato sempre lembrado, nunca esquecido. Hoje exatamente completam-se 16 anos. Imagens que se repetem nas emissoras de TV  como memes guardados na memória humana; algo que parecia irreal, quase impossível naquela ocasião (2000). Este, talvez tenha sido um dos primeiros grandes atos terrorismo contra um país considerado intocável; ato este que em sua esteira gerou muitos outros para além da nação norte-americana, estendendo-se para diversos países da Europa.
O "Tribute in Light" é um tributo à memória das vítimas do 11 de Setembro de 2001, em Nova Iorque. Os dois pilares azuis de luz representam as Torres Gémeas, destruídas no atentado.
Fonte: 
http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/2017-09-11-Ja-passaram-16-anos-desde-o-11-de-Setembro
Em 2000 era um fato isolado na América do Norte e difícil de ser assimilado; estudantes universitários em cidades do interior ficaram pasmos e seus professores sem palavras. Temia-se uma Terceira Guerra Mundial, a ser declarada pelo Governo dos Estados Unidos, o que não se concretizou..Porém, muitas outras pequenas e grandes guerras continuam em curso; a tensão cresce cotidianamente distribuída em multifocos, prontos a explodir ao mínimo estopim.
Mesmo assim, o próprio local do atentado americano ao longo desses anos tornou-se símbolo da vida e do renascimento de uma cidade atingida de forma inesperada e muito dura. A construção de um monumento às vítimas, assim como de um museu e prédio de escritórios substituindo as torres gêmeas derrubadas por aviões camicazes comprovam que a Vida sempre vence a Morte. E também demonstra que a humanidade ferida, se esforça para não ser vencida pela insanidade, buscando manter o fio de esperança presente entre os povos mais atingidos por ataques desumanos.
Há os que insistem que para superar situação tão abominável é importante entender cada vez mais profundamente o dom da vida, onde quer que seja.Ventos fortes de Esperança ou pequenas rajadas demonstram que salvaguardar a paz e a vida continua a ser propósito de muitos para que o futuro da Humanidade possa ser bem melhor do que o presente ou o passado, num equilíbrio entre treva e luz, esperança e desesperança, amor e ódio dualidades sempre presentes como expectativa da própria vida.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira) 

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Comunicação, meios e nuances

Não há dúvida sobre o crescimento e aprimoramento dos meios de comunicação nos dois últimos séculos; o século XXI viu crescer a era tecnológica e digital, viabilizando a rapidez da comunicação de forma globalizada. Mas este crescimento vertiginoso, bem como os diversos meios ou suportes para divulgar todo tipo de informação também geram reflexões sobre sua eficiência no que se refere à troca e contato entre os seres humanos que, em última instância, são os destinatários da mensagem divulgada.
A tecnologia digital avança e pesquisas demonstram o crescimento das mídias sociais, bem como a crescente troca de palavras através do uso constante destas mídias. O homem está cercado pela comunicação, mas esta é efetiva? É um diálogo? Fala-se e ouve-se? Ou só se digita inúmeras palavras por segundo, sem que haja um elo real entre emissor ou emissores e receptor ou receptores e vice-versa?
Os meios de comunicação eletrônicos e digitas funcionam como suporte possibilitando ou não a interação entre as pessoas. Postagem de fotos, vídeos e textos nas redes sociais nem sempre expressam o momento real vivido pelo seu emissor. Neste caso, é possível perguntar: Há uma comunicação de fato ou apenas a divulgação de um conteúdo, a fim de alimentar essas mídias? A comunicação consiste num processo interativo cujo sistema simbólico entre emissor e receptor precisa estar em sintonia para que o processo comunicativo seja de fato efetivo, pleno e eficaz.
Desde os primórdios, o universo simbólico (desenho, gestos etc.) sempre esteve presente no fenômeno comunicativo e o primeiro livro impresso, a Bíblia no-lo demonstra tanto no primeiro testamento quanto no novo. Basta ver a simbologia que descreve o contato de Deus com o homem, cujos textos usam em suas narrativas símbolos tais como nuvem, lua, fogo, trovão em inúmeras passagens (conforme livro do Êxodo, por exemplo). Também Jesus, no novo testamento, utiliza-se de parábolas para falar ao povo e com seus discípulos. No entanto, ele utiliza signos conhecidos de seu público: a vinha e o agricultor, o pastor e suas ovelhas, a dracma perdida, o óbulo da viúva. Portanto, a comunicação é eficaz e ocorre realmente, quando atinge o objetivo proposto, ou seja, constrói um processo dialógico capaz de gerar reflexão e entendimento entre as partes envolvidas.
A arte do diálogo é inerente ao processo comunicativo e a troca democrática de ideias, inclusive, nas mídias sociais pode contribuir para uma sinergia capaz de criar tolerância e confiança na sociedade atual, cuja intolerância e descrença ampliam-se de forma significativa. Então, não basta saber utilizar as redes sociais e as diversas mídias eletrônicas ou digitais, mas é necessário adequar o simbolismo presente no conteúdo ao contexto em que seu interlocutor está inserido. E, ao mesmo tempo, perceber se há uma integração entre o suporte escolhido e os respectivos benefícios a serem atingidos. Além disso, é bom recordar que nem sempre as mensagens postadas nas redes sociais, contendo sorrisos radiantes expressam de fato o momento real vivido pelo seu emissor.

A prova de que nem sempre é suficiente uma comunicação digital, está no questionamento gerado por jovens entre 13 e 15 anos que não se satisfazem por estar em companhia de amigos da mesma geração e estes ao invés de partilharem o momento presencial estão conversando via whatsapp. “Ei amiga, eu estou aqui”, disser uma adolescente para chamar a atenção da melhor amiga que, mesmo estando ao seu lado, a ignorava. Quando isto acontece é hora de se perguntar: onde está o diálogo, a troca de informações, a interação, a comunicação?
Foto de arquivo google
Depoimento: 
“Comunicação para mm é a ação e a produção de compartilhar com alguém conteúdos diversos, com importâncias também diversas. Hoje a comunicação é algo relativamente raro, já que com a internet, as redes sociais e esse mundo eletrônico torna-se mais fácil mandar uma mensagem do que sentar ao lado de alguém para conversar.
Eu mesma já passei por isso. Estava com minha melhor amiga em casa, lado a lado, e durante mais ou menos 20 minutos eu tentei me comunicar com ela e nem sequer recebi um olhar. Bem, ao chamar a atenção dela, finalmente, consigo um olhar, mas com uma resposta brava por interromper o que ela fazia.
Sinceramente, acho que se as mídias digitais fossem mais simples, ou até mesmo mais lentas, seria melhor, já que assim as pessoas poderiam curtir mais a vida fora desse mundo eletrônico e sem barreiras”. (MCFC – 15 anos)

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Uma Brasília Diferente

Brasília não é apenas uma cidade com notícias políticas negativas:ali também existem pessoas do bem, que se preocupam com seus semelhantes,mesmo no rodamoinho da crise política, econômica, social e financeira que assola o país. Assim já está na segunda edição o evento: Reiki, Carinho ou Cafuné no Eixo Norte - altura da quadra 214 - no período de 10 às 13h. 
Elsa e Anna Frozen
Fonte:  http://www.pintarcolorir.com.br/frozen-para-colorir/
Nesta segunda etapa os participantes ainda recebem de brinde quick massage e chocolate quente. 
Apesar de não ser obrigatório os participantes puderam doar roupas, mantimentos e material de higiene.A ação Abraço, Reiki ou Cafuné tem como objetivo construir uma corrente do bem em que “cada um dá o que pode”. Queremos mobilizar as pessoas para que, mesmo que não possam fazer o bem ao outro doando dinheiro, alimentos ou roupas, deem um pouquinho do seu tempo, da sua atenção”, explica a jornalista Patrícia Rodel, organizadora do evento.A primeira edição ocorreu em julho deste ano e teve um forte impacto na cidade dos políticos como é conhecida a capital do Brasil.
Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Homenagem

Hoje comemoramos 30 anos da morte do meu escritor predileto: Carlos Drummond de Andrade, mais do que predileto, pois ainda estagiária no Curso de Jornalismo tive o privilégio de entrevistá-lo, num período em que ele não era afeito a receber estudantes, em seu apartamento, em Copacabana (RJ). Entrevista esta que impulsionou-me a superar todo e qualquer obstáculo para tornar-me jornalista não apenas em teoria, mas na prática, trabalhando em jornais diários na região metropolitana do Rio de Janeiro, pequenas revistas de turismo e outros veículos impresso de pequeno e médio porte. Profissão que ainda hoje me fascina, mas sem o glamour dos anos 70 e 80.
Por isso, a morte de Drummond foi o primeiro choque violento em minha vida de jovem profissional da Comunicação, em 18 de agoto de 1987, apenas 12 dias após a morte de sua filha única, a cronista Julieta Maria de Andrade que falecera de câncer.  Ainda estava deglutindo a morte daquela q fora minha ponte para chegar ao escritor, ao ter conhecimento de sua morte. Na época era uma jornalista na cidade em que nasci e passei o dia acompanhando o noticiário para escrever uma matéria especial e, ao mesmo tempo para elaborar um texto pessoal, a fim de expressar minhas emoções.
Afinal, morrera um dos maiores expoentes da literatura brasileira e dentre os vários títulos, um dos que mais me atrai ainda é "De Notícias e Não- Notícias faz-se a crônica",  talvez porque ali o autor transmite ao leitor ( ou pelo menos para mim como leitora) uma concepção da realidade tanto de modo subjetivo, quanto psicológica e física, percebida pelos sentidos em função dos vários textos contidos  nas 200 páginas da sexta edição, publicada pela Editora Record em 1993, pós-morte do escritor, reunindo histórias inicialmente publicadas no chamado Caderno B, do então Jornal do Brasil, no RJ.
Saudades do Drummond!!!

Como parte das homenagens ao poeta, escritor, jornalista, a editora Companhia das Letras lança em outubro - Drummond nasceu em 31 de outubro de 1902 - o livro Uma Forma de Saudade – Páginas de Diário, material herdado e reunido pelo neto Pedro Drummond. 


http://cultura.estadao.com.br/blogs/babel/diarios-de-carlos-drummond-de-andrade-serao-publicados-30-anos-depois-da-morte-do-poeta/



                                                       Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)







sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Gota filosófica


"Quanto mais alto for o edifício, mais sólidos têm de ser os seus alicerces. É por isso que se diz que sem a terra não se chega ao céu."

(Paulo e Lauro Raful)



Foto: Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

domingo, 23 de julho de 2017

Dar: Gratuidade

Doar - "ceder gratuitamente", diz o dicionário. E o que isto significa? Significa muito mais do que doar algo apenas material ou tangível.. Implica em gratuidade, inteiramente. E alguns grupos e pessoas estão fazendo isso em diversas partes do mundo.Por exemplo, a ação"#CadaUmDaOquePode. de acordo com o portal Só Notícia Boa (http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/07/12/doam-abracos-reiki-e-cafune-pra-ajudar-carentes-assista/) realizou um primeiro evento em Brasília, visando despertar a solidariedade nas pessoas. Assim, trata-se de um dia para dar e receber sorrisos, abraços, reiki, cafuné, chocolate quente…Enfim, algo tangível ou intangível, mas capaz de transformar o momento presente de alguém conhecido ou desconhecido.
Portanto, doar vai além de dar dinheiro, alimentos ou roupas (o que também é necessário) a fim de que se colabore na construção de um mundo mais solidário, fraterno, um mundo unido em diversos aspectos. Muitas vezes, doar tempo e atenção são bem mais importante; hj tem-se medo de parar na rua  quando alguém tenta nos abordar tamanho receio da violência que graça pelo mundo a fora, mas às vezes, quando se é parado isto pode gerar uma grata surpresa: a pessoa quer apenas uma informação ou uma ajuda para atravessar a avenida movimentada e cheia de obstáculos, dificultando a livre circulação.


Praia de Icaraí em Niterói Foto a autora
Quando se é capaz de superar o medo e dar uma parada em meio a correria do dia a dia e, assim auxiliar alguém apenas com sim e posterior orientação, isto deixa uma sensação transbordante de bem-estar que é capaz de transformar todo o dia. Ou seja, são beneficiados ajudante e ajudado, sem que isto implicasse doar dinheiro ou outro bem material.
Assim, “O propósito da ação Abraço, Reiki ou Cafuné é fazer uma corrente do bem na qual “cada um dá o que pode”, explicaram os organizadores do evento à Reportagem do Portal  Só Notícia Boa. (http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/07/12/doam-abracos-reiki-e-cafune-pra-ajudar-carentes-assista/).
Deste modo, é possível observar que doar tempo, talento e boas ações faz parte da gratuidade, do doar a si mesmo em prol de todos que estão ao redor. Para isso, basta sensibilidade e atenção.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)



terça-feira, 11 de julho de 2017

Honestidade e Sensibilidade

O brasiliense Júnior Cezar Santos é uma prova viva de que mesmo em tempos  de inúmeras dificuldades financeiras e notícias de corrupção, lvagaem de dinheiro, a  honestidade continua a fazer parte do ser humano, assim como a sensibilidade em prol do outro.  Ainda neste mês  ele foi capaz de devolver mediatamente uma quantia que foi depositada em sua conta corrente, mas que não lhe pertencia.
Isto ocorreu porque a jovem universitária, Yara Oliveira, estudante de Serviço Social na Universidade de Brasília (UNB) ao invés de depositar a parcela da Assistência Estudantil em sua conta poupança,acabou depositando na de outra pessoa, ao digitar um número a menos, ao efetuar a transação via computador.
 Ao perceber o erro ela buscou nas redes sociais pelo proprietário da conta que, ao confirmar a confusão se dispôs imediatamente a devolver-lhe a referida quantia.
https://br.pinterest.com/pin/595601119440096904/
Para Yara foi um alívio e esperança, enquanto para o jovem Júnior Cezar foi fazer o que considerava correto. Ela como gratidão espalhou a notícia nas redes sociais, enquanto ele segue como exemplo de brasileiro ético, sensível às necessidades do outro e capaz  de olhar além das próprias necessidades.

Veja notícia completa no link http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/07/11/rapaz-devolve-dinheiro-depositado-errado-honestidade/

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Concurso e Cordialidade num domingo gélido

Um domingo gélido, cinza e muito convidativo para permanecer debaixo das cobertas na cidade de São Paulo. Entretanto, isto não foi o que aconteceu no dia 2 de julho para milhares de concurseiros  inscritos na Prova de Escrevente para o Tribunal de Justiça de São Paulo - 1ª Região e Campinas - o famoso TJ/SP. O concurso bateu recorde de inscritos: mais de dois mil candidatos, quase 200 pessoas por vaga, num país com 14 milhões de desempregados.
Muitos lá estavam em busca de um sonho: estabilidade  no emprego; outros buscavam a possibilidade de um salário que lhes permitirá acabar com dívidas geradas pelo desemprego ou pelo atraso no pagamento de seus proventos mensais. Seja qual for o motivo ninguém reclamava e, apesar de pairar certa tensão no ar, havia também uma cordialidade entre todos. Cordialidade demonstrada em pequenos e concretos gesto como ajudar o vendedor de canetas e lápis a recolher toda a mercadoria que havia caído de sua pequena banca em frente a um dos locais de prova.
cordialidade ao buscar água para quem estava um pouco mais tenso ou mesmo com mal estar. 
A mesma cordialidade em auxiliar o proprietário do carro cuja radiador explodiu e assustou os que estavam ao redor. Enfim, conversas entre desconhecidos que ali estavam para disputar a mesma vaga, mas que naquele momento se desejavam boa sorte e construíam laços, ao invés de estarem individualmente em seus celulares ou com suas anotações.
Após a abertura dos portões, numa das muitas unidades em Santo Amaro, a entrada foi tranquila e ao chegar nas respectivas sala, embora a tensão crescesse, a conversa entre desconhecidos também existia, buscando ao menos saber o nome do vizinho de aventura e o que poderiam ter em comum. Enfim, o domingo frio, cinzento externamente se tornou um domingo mais humano e acolhedor entre aqueles milhares de seres humanos que durante cinco horas se debruçaram sobre as 100 questões preparadas pela VUNESP para os concorrentes ao cargo de escrevente do TJ/SP. Na saída se viam rostos canados e aliviados por mais uma etapa cumprida, aguardando a divulgação do resultado em breve!

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

sábado, 3 de junho de 2017

Junho festivo

Neste mês começam, em várias partes do país, inúmeras festas religiosas. São popularmente denominadas festas juninas. Iniciam-se no dia 13 de junho, dia de Santo Antônio, e se prolongam por todo o mês. Junina, na verdade vem de joanina, já que no dia 24, festeja-se o nascimento de São João Batista – denominado o Precursor –. As inúmeras festividades se estendem até o dia 29 de junho, dia dos apóstolos São Pedro e São Paulo. 

Todas essas comemorações tiveram origem no século XII, na região da França. De acordo com os historiadores, a tradição da  chamada festa junina chegou ao Brasil com a colonização portuguesa, mas teve influência cultural de diversos povos. A primeira festa junina aqui realizada foi no ano de 1603, em comemoração a São João, com o frade Vicente do Salvador, sendo presenciada pelos nossos primeiros habitantes: os povos indígenas.
A dança marcada veio da França, sendo uma característica típica das danças nobres, que no Brasil muito influenciaram as quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício chegou até nós vinda da China, país de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. A dança de fita, muito comum em Portugal e na Espanha, teria vindo da Península Ibérica.
Assim, no Brasil, este mês é marcado por danças, comidas típicas, bandeirinhas coloridas e muitos festejos que envolvem elementos culturais de cada uma das diversas regiões do país. Há forrós, leilões, bingos, fogueiras, casamentos caipiras, caracterizando um momento de confraternização comunitária e coletiva.


Regina Maria da Luz Vieira (Regiluzvieira)

sexta-feira, 5 de maio de 2017

200 anos da Língua Portuguesa

Em comemoração aos 200 anos do quarto idioma mais falado no mundo, o português -, perdendo apenas para o mandarim, espanhol e inglês - o Museu da Língua Portuguesa, que está sendo reconstruído após o incêndio que atingiu vários setores, promove até o dia 6 de maio diversas atividades artísticas e culturais no saguão da Estação Luz do metrô em São Paulo. As atividades incluem oficinas e apresentações gratuitas de música, teatro, poesia. No dia 3 deste mês festejou-se o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
http://www.historiadetudo.com/wp-content/uploads/2015/03/portugues-1.jpg
"De acordo com o Power Language Index, ranking do Fórum Econômico Mundial divulgado no fim de 2016, o Português é um dos dez mais valiosos do mundo para participação na economia, intercâmbio cultural, capacidade de diálogo, turismo, imigração, entre outros critérios. Nas últimas duas décadas, segundo estudo do Observatório da Língua Portuguesa, tem ganhado ainda mais força como resultado da integração da comunidade lusófona, formada pelo Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial, Angola, Moçambique e Timor Leste" conforme link abaixo:
Como código social nossa Língua Portuguesa sofreu alterações desde que aqui foi falada pelos portugueses em 1500 anos. Alguns termos têm seu significado alterado conforme o contexto em que se encontra, sobretudo em sua oralidade.Eis porque existe uma convenção linguística que favorece a comunicação entre os falantes apesar disso, em nosso país e mesmo em Portugal há diferença entre o idioma escrito e a linguagem oral; há uma norma culta e outra coloquial. Por isso também se estuda gramática da Língua Portuguesa, tendo em vista verificar como se fala e como se escreve, bem como as normas ou leis  que definem o uso deste idioma. No Brasil gouve alteração ortográfica recente e que na prática alterou a grafia de alguns vocábulos e que na prática ainda está sendo assimilado, principalmente, pelos estudantes universitários e de Ensino Médio. Nosso idioma deriva do latim trazido pelos soldados romanos desde o século III a.C. quando os romanos conquistaram a parte ocidental da Península Ibérica.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)





terça-feira, 2 de maio de 2017

Uma Reflexão a partir de visão filosófica

Se soubermos utilizar nossos potenciais de modo equilibrado, também obteremos energia suficiente para concretizarmos projetos e sonhos viáveis em nosso cotidiano. Isto é o que podemos perceber mensagem reflexão abaixo:

"Para lidarmos satisfatoriamente na vida com os nossos problemas, precisamos de muita energia. No entanto, essa energia é constantemente desperdiçada através de três canais: pelo mental, sede de todo tipo de preocupações e fantasias; pelo emocional, morada de inumeráveis medos e angústias; e pelo corpo, continuamente tenso e habitado por infindáveis desejos. Somos muito ingênuos, pois não percebemos que o quadro aqui descrito consome 80% da energia diária que possuímos para sobreviver e bem viver." 
(Paulo e Lauro Raful)


sexta-feira, 7 de abril de 2017

De fato uma "Notícia Boa"

https://4.bp.blogspot.com/-PH4x7de9UwA/WOfjbCsWL0I/AAAAAAAAAzU/LjYSdPHFWDIj_oSVDg0GJTY8fNpSWSmKQCLcB/s200/D%2BMundial%2BJorn.jpg
O portal "Só Notícia" foi o vencedor do prêmio Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de Comunicação na categoria Portal, Sites e Blogs. Esta premiação quer homenagear e incentivar atividades específicas da internet que evidenciam valores humanos e cristãos.
O portal existe há cinco anos e procura destacar notícias que na maior parte das vezes não estão na mídia e cujas ações se desenvolvem em favor da humanidade nos mais variados setores e aspectos da sociedade. O objetivo central do portal é divulgar notícias que trazem esperança para a humanidade e que são fatos concretos. A premiação será exibida no dia 28 de abril em várias emissoras de televisão.
Também foram premiadas a equipe do jornal O Estado de São Paulo com o troféu Dom Helder Câmara 2017, pela série “Terra Bruta” e ainda o jornalista André Soler, do SP Invisível, recebedor do troféu Dom Luciano Mendes de Almeida, na categoria Iniciativas em Redes Sociais
São fatos como estes que mostram o quanto ainda vale a pena ser jornalista e poder comemorar a profissão neste dia 7 de abril de 2017, quando estes profissionais festejam a data que lhes é dedicado.

Acesse o link http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/04/04/sonoticiaboa-vence-50o-premio-cnbb-de-comunicacao/ para ler mais sobre o assunto e outras notícias boas.




https://www.google.com.br/search?q=imagens+jornalismo&espv=2&tbm=isch&imgil=eOCz0JITHq5GjM%253A%253BHkU

https://umpequenojornalista.files.wordpress.com/2015/09/jornalismo.jpg



Parabéns Jornalistas pelo seu dia!
Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)





terça-feira, 4 de abril de 2017

Liberdade, Civilidade e Esperança

A exposição fotográfica "Um lar chamado São Paulo", na região da Avenida Paulista dá visibilidade local a situação de inúmeros refugiados que chegam ao Brasil fugindo de situações de conflito, miséria e opressão em seus próprios países, principalmente no continente africano e no Oriente Médio. Até abril deste ano, de acordo com as fontes internacionais oficiais,8.860 refugiados de 79 pátrias foram reconhecidos no no Brasil.

De acordo com fontes como a ACNUR, ADUS e CONARE entre 2010 e 2015, o Brasil recebeu 48,7%  de solicitações de refúgio de jovens entre 19 e 29 anos da República Democrática do Congo (968), Palestina (376). E no momento, no mundo todo existem pelo menos 21,3 milhões de refugiados em função da guerra na Síria, sendo a maior parte constituída por mulheres entre 30 e 50 anos. Em nosso país estão 2mil290 refugiados da Síria; 1mil420 angolanos e angolanas e 1mil110 sem colombianos.
Sessões de saúde mental de Médicos sem Fronteiras (SMF) tentam ajudar nos acampamentos de refugiados.

Fonte - https://www.msf.org.br/noticias/mesmo-na-turquia-sirios-ainda-sao-assombrados-pela-guerra?gclid=CMDB3o-Hi9MCFYwGkQodrFsNow

Mais do que os dados, a exposição fotográfica impressiona pela tristeza no olhar e o sorriso no rosto em muitos dos fotografados. Isto deixa entrever que acreditam na esperança de uma vida melhor, apesar do sofrimento que sentem pela distância, pela separação ou pela perda de entes queridos e a necessidade de abandonar a própria pátria e deixar uma vida para trás. São imagens em preto e branco capazes de captar a profunda dor e o sentimento de seres humanos que esperam reencontrar num noutro país sua liberdade e civilidade.

Londres:refugiados sírios espalham mensagens de paz, união e esperança.
Compartilhem #Human2human
Esta esperança não pode ser destruída, mas deve ser fortalecida pela acolhida calorosa de nós brasileiros que, mesmo enfrentando uma situação política e econômica arrasadora ainda assim temos o que oferecer a quem nada possui ou que tudo perdeu pela insanidade de quem está no papel de Governança. 

Quem pode esquecer a imagem do menino branco coberto de sangue e poeira em completo estado de choque exibida nas diversas emissoras de Tv e nas redes sociais nos primeiros meses deste ano, ou da criancinha negra de 4 dias cujos pais fugiam num bote e foram resgatados em alto mar neste forte inverno europeu? 

Diante destes fatos torna-se sempre mais visível a necessidade imperiosa de nos tornarmos sempre mais solidários e de modo concreto com a dor do irmão que sofre, vivenciando práticas de caridade as quais somos chamados constantemente.  
Se esta caridade for praticada sempre, então, a esperança será real e sólida para todos que aqui aportam.


Mjed Mojleh, refugiado sírio no Brasil, com sua carteira de identidade para estrangeiro.
Foto: Thomaz Napoleão.



Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

segunda-feira, 27 de março de 2017

Reiki E Seus Benefícios

REIKI – Arte milenar da “cura” pelas mãos. É uma palavra oriental que significa ENERGIA VITAL UNIVERSAL. É uma Técnica de Terapia Vibracional − aceita e aprovada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) − específica para restaurar e equilibrar sua Energia Vital Natural.

REIKI não é um dogma, nem uma religião, mas é um método científico completo de equilíbrio, para manter sua saúde e seu bem-estar físico, emocional, mental e espiritual, equilibrados. É uma técnica eficiente para prevenção de doenças e desequilíbrios de energia em todos os níveis do seu SER. É um método de cura natural, alternativo, que visa à ajuda total ao indivíduo e pode ser facilmente combinado com outras técnicas.

REIKI é um método renovador e equilibrador de energia, que pode ser usado em conjunto com qualquer técnica de tratamento medicinal ou de crescimento pessoal.
É uma arte completa de equilibrar e alinhar os CHAKRAS ou Centro de Forças Sutis de Energia, proporcionando o equilíbrio do ser. É algo seguro e pode ser aplicado a qualquer momento, em qualquer situação.

Benefícios do REIKI:

Atinge as causas e elimina os efeitos dos desequilíbrios.
Auxilia a diminuir o senso de debilidade e ineficácia, quando se faz frente com doenças e crises.
Contribui na eliminação do stress adquirido no dia-a-dia.
Pode ser usado para ajudar animais e plantas.
Não conflita com sua crença religiosa.
Não conflita com os procedimentos médicos; ao contrário, os engrandece.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)
OBS: A autora é também terapeuta holística em técnicas vibracionais e florais de Bach e da Califórnia.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Prêmio para "Só Notícias Boas"

A 50ª edição dos Prêmios de Comunicação da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB) tem como um dos finalistas o portal SóNotíciaBoa, concorrendo na categoria Portal, Sites e Blogs. Esta premiação visa estimular a a produção de matérias que valorizem e realcem valores humanos e cristãos.

O portal concorre ao  prêmio Dom Luciano Mendes de Almeida – secretário e presidente da conferência, falecido em 27 de agosto de 2006. E, de acordo com o diretor geral do referido portal, Rinaldo de Oliveira, "já é um prêmio estar entre os finalistas, pois isto significa poder disseminar informações positivas para novos públicos" e, principalmente, atender a sugestão do papa Francisco a respeito do assunto. 
A existência deste portal é bem interessante uma vez que no mundo atual há uma generalização e um excesso de divulgação de notícias  e informações  negativas que são replicadas em diversas mídias.
Entrar no portal de Notícias Boas é um bálsamo tanto para o profissional da área como para quem busca acreditar um pouco mais na possibilidade de se construir um mundo melhor. É também a possibilidade de colocar em relevo atividades em favor de causas humanitárias que, em geral estão distantes da mídia porque não dão ibope.
No que que se refere à premiação, a categoria internet é a primeira vez que está concorrendo. A escolha dos trabalhos que estão concorrendo serão avaliados por um Júri formado por bispos que escolherão os ganhadores. A premiação será feita em abril. 

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)


Foto: reprodução / CNBB



.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Carnaval - Origem e História

Trata-se de uma das festas mais populares do mundo; sua origem é europeia, mais precisamente no entrudo português - período anterior à Quaresma - quando as pessoas jogavam ovo, farinha e água uma nas outras. No Brasil, este entrudo chegou no século XVII, mas veio acompanhado pelas festas carnavalescas da Itália e França, nas quais os foliões usavam máscaras e fantasias, num desfile urbano, dando asas à à liberdade. Deste modo, os nossos principais personagens carnavalescos têm origem europeia , e em particular no teatro popular. São eles o pierrô, a colombina e o Rei Momo.
Já os primeiros blocos carnavalescos, cordões surgiram no Brasil no século XIX, quando as pessoas fantasiavam seus carros também e saiam em grupo pelas ruas das cidades. Foram os carros fantasiados que deram origem aos atuais carros alegóricos das escolas de samba. A primeira escola de samba foi a Deixa Falar, mais tarde tornou-se Estácio de Sá. Os desfiles cresceram e surgiram outras escolas que seguem até os dias de hj, principalmente, no Rio de Janeiro e em São Paulo, atraindo milhares de foliões locais e de outros países.Estas escolas se organizaram em  Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)

Foto: Google
LINKS:
http://www.suapesquisa.com/carnaval/
http://brasilescola.uol.com.br/carnaval/historia-do-carnaval.htm

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Seguir em frente

Uma vez que se colocou os pés no caminho, como se pode recuar dele para algo inferior?
Se você se mantém firme, quedas não importam, levante-se de novo e continue em frente.
Se você é firme em direção ao objetivo não pode haver nenhum fracasso definitivo no caminho para o Divino. 
E se há algo dentro de você que lhe impulsiona, e certamente há, as vacilações ou quedas ou falta de fé não são diferenças decisivas. É importante que se continue até que a luta tenha passado e haja o caminho reto, aberto e sem espinhos à sua frente.
(Fonte: Reflexões Diárias)



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Notícias do bem e que fazem bem

Retratar o mundo e os fatos que nele ocorrem é básico para o Jornalismo.Mas os fatos negativos trazem mais audiência e repercussão, enquanto os positivos ficam quase esquecidos e, por vezes, parecem nem existir. E há muitos, de várias maneiras e em diversas situações; ler notícias positivas faz bem ao corpo e ao espírito; eleva a alma. Revigora o ânimo neste mundo tão conturbado.
Ao pesquisar no portal "Só Notícias Boas",http://www.sonoticiaboa.com.br/ pelo menos dois fatos emocionam de imediato: Um deles sobre o menino nigeriano de três anos, Hope, que estava subnutrido vagando pelas ruas do país e foi resgatado pela  ativista dinamarquesa Anja Ringgren Lovén, fundadora da ONG African Children’s Aid Education and Development Foundation, que acolhe 30 crianças abandonadas. Atualmente, o pequeno Hope, muito sorridente, começa o ano frequentando uma escola infantil.
O outro fato é o do menino brasileiro, Gabriel, 6 anos, na cidade de Rio Verde (GO) que, juntamente com sua avó, buscavam no lixo material escolar. Dois policiais militares, em patrulha viram  os dois vasculhando o lixo e se aproximaram. Ao tomarem conhecimento criaram uma "corrente do bem" (http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/01/19/corrente-do-bem-ajuda-menino-pegava-material-escolar-no-lixo/ ) e obtiveram não apenas lápis e cadernos, mas também  calçados, mochila e todo os apetrechos necessários para estudar. A criança ficou tão emocionada misturou choro e alegria; também a idosa se emocionou ao ver tododo o material, assim como os policiais que decidiram fazer algo em prol desta criança necessitada.
Enfim, são notícias como estas que resgatam o valor do Jornalismo como atividade benfazeja, contribuindo para alargar a certeza de que ainda há muito espaço na sociedade para a prática do bem sem alardes, mas suficiente para alterar situações diversas, indignas em notícias que fazem bem, porque há pessoas capazes de realizarem o bem.. Portanto, quando diante da TV ou da internet você se deparar apenas com notícias negativas recorde-se destas duas notícias ou vá até o portal http://www.sonoticiaboa.com.br/ e encontre notícias diversificadas e que mostram o bem ainda presente no mundo.
Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)
Foto: African Children’s Aid Education and Development Foundation
http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/02/05/lembra-do-hope-subnutrido-veja-como-ele-esta-1-ano-depois-na-escola/

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Natureza e Humanidade: guerra, paz e luz

Desastres, calamidades climáticas, ondas de protestos, revoltas, crimes, enfim os mais variados tipos de violência, dor e sofrimento continuam a pipocar nos noticiários e enchem o ar, a mente , os pulmões e o coração de amargura e desesperança. Nas grandes metrópoles e, mesmo nas cidades menores. toda hora ouvem-se sirenes seja de ambulância, bombeiros ou polícia e quase nunca um som de paz.
Nos países devastados pelas guerras fratricidas os sons mais alto são sempre de bombas explodindo e pessoas gritando em meio ao sangue e a fumaça, ou crianças perplexas, cobertas pelo pó dos escombros de prédios e casas que se desintegraram. Crianças que sequer entendem o que aconteceu ou está acontecendo, quase petrificadas, incapazes de derramar lágrimas em função de algo tão devastador. Diante de um quadro tão caótico surgem as perguntas: Onde estão os fatos positivos? A lâmpada que brilha no escuro?
Penso que devemos encontrar não só respostas, mas também meios que contribuam para reverter ou ao menos reduzir esta situação. E creio que muito vem sendo feito, ainda que como iniciativas individuais e privadas, de modo voluntário nas diversas áreas da sociedade. Dentre os exemplos estão os Médicos Sem Fronteiras, Projeto Fome Zero e o Projeto Reciclar.
Este último premiado através do seu idealizador, o empresário Alfredo José Assumpção, que é o primeiro brasileiro a receber o prêmio Eleanor H. Raynolds, dividindo-o com os colegas do Reciclar e líderes de ONGs, que trabalham para construir um Brasil mais justo e solidário. Fundado em 1995, proporciona aos jovens oportunidades de educação e aprendizagem profissional. Um dos pioneiros na produção de papel reciclado, contrata jovens que experimentarão seu primeiro emprego.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)


 Foto: Wikipédia - http://noticias.universia.com.br/br/images/universia/g/gu/gue/guerra-paz-candido-portinari-noticias.jpg

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Persistência e Adversidade para atingir a meta

A persistência para atingir a meta  levou um atleta brasileiro nas Olimpíadas de 1932 a exaustão em todos os aspectos, sobretudo, física. O catarinense Adalberto Cardoso, além de superar inúmeras adversidades, inclusive a inadequação alimentar durante uma longa viagem de navio até Los Angeles, a fim de participar da corrida olímpica daquele período.Sua persistência demonstrou todo o espírito e o significado real que é a base das Olimpíadas.
Sua grande aventura intercontinental levou o franzino atleta  a fazer o longo percurso da corrida, caindo por três vezes na pista, antes de atingir a linha de chegada e quando já não havia mais nenhum corredor. Seu feito foi comentado de forma emocionada pelos jornalistas que "cobriam" o evento. Por sua exaustão e tenacidade recebeu o apelido de "homem de ferro", impulsionado pelo lema "o importante não é competir, é chegar", do Barão Pierre de Coubertein, historiador e pedagogo francês que restabeleceu os Jogos Olímpicos na era Moderna. 
Adalberto Cardoso recebeu a medalha honorífica  do Coliseu de Los Angeles, porém, poucos sabem disso. É uma história esquecida, mas que foi relembrada e contada pela TV Brasil para celebrar a memória de um atleta da Marinha Mercante em 11 de janeiro deste ano no episódio "1932 - A medalha esquecida do atletismo brasileiro".

Regina  Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)



sábado, 7 de janeiro de 2017

Turismo Urbano - Desvelar a cidade para além do olhar cotidiano

Conhecer a cidade a partir do sightseeing é empolgante como uma aventura na selva, porém, trata-se de uma selva de pedra onde o concreto e o asfalto ganham novos contornos, nova roupagem. Lugares comuns vão se desvelando a olhos nus como algo nunca visto ou não percebido.
Um mundo de cores e formas que ganha vida como o inesperado brilho do sol por entre as nuvens, num dia que começou cinzento, anunciando chuvas torrenciais. Mas ao passar das horas, transforma-se numa manhã quente, quase escaldante de mais um dia de verão numa grande metrópole como São Paulo. Entretanto, este dia é diferente dos demais vividos, até então .
Tornar-se um turista que quer conhecer a vida na Sampa, que pulsa 24h sobre 24h, para quem é apenas um morador que vive a correria de mais um dia de trabalho e estudo é de fato viver uma experiência nova, começando o ano de uma maneira também nova. Sem dúvida, a carga simbólica do novo é pungente, ultrapassando o conhecimento cotidiano de 20 anos residindo nesta megalópole.
Concreto e asfalto reúnem sonho, beleza, vida iluminada pela arte. Uma arte produzida outrora por aqueles que aqui chegaram, ficaram e fizeram História como o patriarca da família Matarazzo; ele aportou na cidade de São Paulo como mascate e construiu seu império de sangue, suor e lágrimas. Sangue, suor e lágrimas também de seres humanos que, muitas vezes, foram despojados  da própria condição humana, mas que trouxeram grandes mudanças para esta megalópole. 


Sair da comodidade e viver novas experiências, passando de morador a turista, certamente, transforma lugares considerados comuns em pontos turísticos que realmente são. É o caso da Avenida Paulista, do Viaduto do Chá, da Estação da Luz onde estão o Museu da Língua Portuguesa (infelizmente desativado em função do incêndio ocorrido no ano passado, mas que consta no site turístico da cidade como em funcionamento) e a Pinacoteca, reunindo as mais variadas formas e conteúdos artísticos desde objetos concretos à própria arte digital. 
Além do Parque do Ibirapuera com suas inúmeras atrações tanto para o lazer como para a cultura; assim como o marco zero da cidade: o Páteo do Colégio com suas construções restauradas e a própria Catedral da Sé que atraem pela beleza, mas também por serem um triste cartão postal da miséria que infelizmente circunda a cidade e o próprio país.
Enfim, é um mergulhar na história cultural de uma megalópole que sempre surpreende quando se abre ao novo-velho e sempre conhecido pelo olhar cotidiano; capaz de transformar simples passeios em algo surpreendente, contribuindo para ampliar o conhecimento pessoal e coletivo, contribuindo na apreciação das pequenas coisas.

Regina Maria da Luz Vieira (RegiluzVieira)


Foto 1: Yasmim Maciel Vieira

 Fotos 2 e 3: Google