domingo, 8 de dezembro de 2013

Ajuda Urgente


Fazenda da Esperança em Guapimirim
 
 
Foto de Alex Serígrafo.


A Fazenda da Esperança, em Guapimirim, que já ajudou a centenas de mulheres a se recuperarem de drogas químicas e do alcoolismo, teve sua sede destruída por um incêndio na tarde de sexta feira, dia 06/12.
Mas a esperança não pode acabar. Deus acredita em nós e através da nossa atitude podemos fazer nascer uma nova ESPERANÇA!!!! AJUDE-NOS...
Precisamos de todo tipo de doação em roupas, utensílios em geral para casa e cozinha; para reconstrução da sede apoio de arquitetos, engenheiros, auxiliares, pedreiros, ajudantes e materiais de construção.
Postos de Coleta: Paróquia Nossa Senhora da Ajuda - Guapimirim - Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Parada Modelo - Comunidade Cristã - Guapimirim - Studio Serigráfico 382 - Parada Modelo.
Se possível, ajude-nos com qualquer quantia:
Banco Bradesco - Agência 0855-9 - Conta Corrente 0024959-9. Obra Nossa Senhora da Glória - Fazenda da Esperança. Responsável pela Fazenda - Leila Cel. 99876-4023
Assim como nós, também vocês podem ajudar!!!
 
Foto de Alex Serígrafo.








sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Dezembro está aí....

Eis que chega dezembro, último mês de mais um ano! Para várias pessoas é a época de pensar em férias, descanso, lazer; para outras é a hora do stress, das compras, festas etc. No entanto, para muitos é, sobretudo, um período de reavaliação das próprias escolhas, de fazer planos e de buscar o sentido da vida, dos acontecimentos ocorridos ao longo dos 365 dias do ano.
Para uma parcela significativa da população é o momento de se preparar para celebrar mais uma vez a presença de Deus-menino, que há mais de 2000 anos traz esperança, alegria e amor ao coração de todos que Nele acreditam. Aliás, fé e esperança são sentimentos presentes nesta época, que também reúne um misto de tristeza, solidão e um certo sentimento de inadequação ao mundo que nos circunda. Essa mescla de sentimentos antagônicos geram atitudes diversas entre a população que caminha freneticamente pelas ruas nas megalópoles ou mesmo nas cidades menores, em busca de presentes ou apenas indo e vindo do trabalho. É um frenesi que envolve todos e cada um, seja de modo positivo ou negativo. 
As cidades estão enfeitadas com luzes de todas as formas, brilhos prateados e dourados, fitas e laços vermelhos, guirlandas e estrelas penduradas nos teto de estabelecimentos bancários, lojas ou nas marquises; enfim, tudo que indique um momento novo, mágico, especial. 
No entanto, se este momento não for mágico internamente, não trouxer paz e alegria para o mundo interior, então, dificilmente, o mundo exterior, com todo seu aspecto mágico, não será suficiente para ressaltar a beleza de um período tão especial como é, por exemplo, o Natal. Ou seja, nascimento, renascimento, confiança. Enfim, torna-se um dia ou uma noite como qualquer outra ao longo de todo o ano....Triste! Pessimista! Mas verdadeiro...Porém, sempre resta a esperança que teima em continuar presente no fundo de cada coração! E isso vale mais do que qualquer presente, tesouro ou enfeite.
 
Regina Maria da Luz Vieira
 

domingo, 24 de novembro de 2013

Oração pela Família Beato João Paulo II


Ó Deus, de quem procede toda paternidade no céu e na terra.

          Pai, que és amor e vida, faze que cada família humana sobre a terra se converta, por meio de Teu Filho, Jesus Cristo, nascido de mulher e mediante o Espírito Santo, fonte de caridade divina, em verdadeiro santuário da vida e do amor para as gerações que sempre se renovam.

          Faze que tua graça guie os pensamentos e as obras dos esposos para o bem de suas famílias e de todas as famílias do mundo.

          Faze que as jovens gerações encontrem na família apoio para sua humanidade e para seu crescimento na verdade e no amor.

Faze que o amor reafirmado pela graça do sacramento do matrimônio, se revele mais forte que qualquer debilidade a qualquer crise, pelas quais às vezes passam nossas famílias.

Faze, finalmente, Te pedimos por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que a Igreja, em todas as nações da terra, possa cumprir frutiferamente sua missão na família e por meio da família.

Tu, que és a vida, a verdade e o amor, na unidade do Filho e do Espírito Santo. AMÉM.
(Beato João Paulo II)

Renovação





Oração pela família


 



Ó Deus, de quem procede toda paternidade no céu e na terra.

          Pai, que és amor e vida, faze que cada família humana sobre a terra se converta, por meio de Teu Filho, Jesus Cristo, nascido de mulher e mediante o Espírito Santo, fonte de caridade divina, em verdadeiro santuário da vida e do amor para as gerações que sempre se renovam.

          Faze que tua graça guie os pensamentos e as obras dos esposos para o bem de suas famílias e de todas as famílias do mundo.

          Faze que as jovens gerações encontrem na família apoio para sua humanidade e para seu crescimento na verdade e no amor.

Faze que o amor reafirmado pela graça do sacramento do matrimônio, se revele mais forte que qualquer debilidade a qualquer crise, pelas quais às vezes passam nossas famílias.

Faze, finalmente, Te pedimos por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que a Igreja, em todas as nações da terra, possa cumprir frutiferamente sua missão na família e por meio da família.

Tu, que és a vida, a verdade e o amor, na unidade do Filho e do Espírito Santo. AMÉM.

 

(Beato João Paulo II)

 

 

 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Constituição, Liberdade e Desenvolvimento

Este mês traz uma comemoração deveras importante e oportuna: nossa Constituição completou 25 anos e não é uma ficção, mas muito ainda precisa ser feito para que ela não apenas consolidada, respeitada, mas plenamente atuada. Nos enchemos de orgulho ao dizer: somo um país democrático, temos liberdade de expressão e liberdade política, etc. etc. Mas de fato o que é ter liberdade e desenvolvimento? Peço licença para me reportar ao pensador Amarthya Sen,  que nos diz em seu livro Liberdade e Desenvolvimento que: "Oportunidades sociais (na forma de educação e saúde) facilitam a participação econômica. Facilidades econômicas (na forma de oportunidade de participação no comércio e na produção) podem ajudar a gerar a abundância individual, além de recursos públicos para os serviços sociais. Liberdades de diferentes tipos podem fortalecer umas às outras [...] Com oportunidades sociais adequadas, os indivíduos podem efetivamente moldar seu próprio destino e ajudar uns aos outros". (2010, p.26)
Portanto, só há de fato liberdade e democracia quando tivermos condições justas para todos os cidadãos e não apenas para alguns milhões, enquanto outros padecem pelas necessidades básicas e ainda temos corrupções em tantas áreas. ainda assim, acredito que nossa Constituição está em vigor, até porque caso contrário sequer estaria expondo pensamento, reflexões e análises sobre determinados assuntos, mas isso não impede de querer mais, querer de fato um país  onde todos desfrutem com igual de de direito e sem tanto jogo de cena que emperram a máquina administrativa do país e benefícios coletivos são deixados de lado, sem que de fato o clamor da maioria seja ouvido.
é verdade que vozes se levantam contra essa parafernália de engodos  e mostram a luz no fim do túnel, mas também é verdade que vandalismo e violência geram maior situação caótica e pode abrir brechas para uma tentativa de fazer sucumbir a Constituição promulgada em 5 de outubro de 1988, atendendo assim, ao clamor da maioria naquela época que ansiava por liberdade plena. Nossa Constituição é uma das mais completas se comparada inclusive com a norte-americana; no entanto, é importante que todos a conheçam profundamente e exijam que seja cumprida em seus diversos aspectos, se quisermos um Brasil justo, equilibrado em seus aspectos políticos e sociais. Não perco a esperança de que isto ocorra um dia não muito distante; afinal o sol nasce e brilha para todos.
 
 
 
 
Regina Maria da Luz Vieira
 
 
 

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Reflexão e Ação

O antepenúltimo mês do ano está começando. que tal iniciarmos com uma reflexão sempre válida e atual?
Sempre que a leio, percebo que ainda há muito a ser feito.... e se possível, modificado

É O “COMO” QUE IMPORTA



 Há dias em que as coisas — humanamente falando — vão bem, e há dias em que vão menos bem. Repete-se, então, a doce experiência de que, na vida presente que nos é dada, não importa se tudo corre bem ou não; importa como se vive esta vida, porque naquele “como” está a caridade, que por si só dá valor a tudo. Com efeito, ama a Deus quem observa a sua Palavra .

Nós, durante o dia, devemos lembrar-nos de que não levaremos ao Paraíso nem as alegrias, nem as dores. Também dar o próprio corpo às chamas, sem a caridade, de nada vale .

Nem valem as obras de apostolado. Também o conhecer a linguagem dos anjos, sem a caridade, de nada vale. Nem as obras de misericórdia. Distribuir tudo aos pobres, sem a caridade, não tem valor.

Ao Paraíso levaremos o como tivermos vivido tudo isto: isto é, se tivermos vivido segundo a palavra de Deus, pela qual podemos exprimir a nossa caridade.

Por isso, levantemo-nos cada dia felizes: quer haja tempestade, quer brilhe o sol; e recordemo-nos de que, do nosso dia, valerá o quanto tivermos “assimilados” da palavra de Deus. Deste modo, Cristo naquele dia viverá em nós e Ele dará valor às obras que tivermos feito, através do nosso empenho direto ou com o subsídio da oração e do sofrimento. Essas obras, no final nos seguirão .

Em suma, poderemos apreciar como a palavra de Deus, a Verdade, nos torna livres..., livres das circunstâncias, livres deste corpo de morte, livres das provas do espírito, livres do mundo, que — insidiando-nos — quer roubar a beleza e a plenitude do reino de Deus em nós.(CH)

Palavras sábias e que nos ajudam a seguir em frente na correria do dia a dia, mas com uma nova luz 

 
Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)



 

 

 

 

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Esperança

Mesmo vivendo um período de tantas incertezas, incluindo a possibilidade real de mais uma guerra fraticida, chega-nos um convite para trazer luz a esta e a tantas outras sombras que nos cercam:


Para mais informações  acesse o link: http://giovanipace.sermig.org/images/stories/foto2013a/08_agosto/13-palavra-setembro-2013.jpg

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Mais uma vez o meio ambiente

Preservar o meio ambiente há muito deixou de ser apenas uma preocupação ou interesse de grupos isolados. Tornou-se prioridade, se quisermos que as futuras gerações tenham condições de vida; entretanto, um estudo divulgado pela organização Conservação Internacional apresenta uma pesquisa que aponta as áreas florestais que estão sob maior ameaça. A pesquisa, que enumera as 10 florestas em perigo, coloca a Mata Atlântica como a oitava neste ranking. O estudo feito tem por objetivo encorajar os países a definirem novas estratégias de proteção aos biomas, exaltando o fato de que também é possível obter benefícios econômicos mantendo a floresta em pé.
De acordo com o estudo realizado todas as florestas consideradas já perderam, pelo menos, 90% de sua vegetação original. Para os pesquisadores, a preocupação maior está no fato de que essas áreas abrigam, no mínimo, 1.500 tipos de espécies nativas endêmicas, que existem apenas naquelas regiões.
Um exemplo disto é a Mata Atlântica, cuja área original ocupava grande parte da costa brasileira e hoje possui somente 8% dessa vegetação em todo o território nacional. O desmatamento é uma preocupação constante já que as florestas cobrem só 30% do nosso planeta e são responsáveis por fornecer alimentos para 1,6 bilhões de pessoas. É importante destacar que as florestas  são um reservatório de água doce.
Além disso, estas regiões respondem pela manutenção do clima e têm importância econômica. Também respondem por três quartos da água potável do mundo, que proveem de vertentes florestais, e a maior parte das cidades depende delas para obter água limpa.
 
 
Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

domingo, 14 de julho de 2013

Táxi, honestidade e esperança


A experiência vivida pelo casal que deixou a mochila num táxi com R$15mil e a recebeu de volta intacta, deixa claro que honestidade, esperança, caráter são características presentes no brasileiro, mesmo diante de tantos absurdos e contra valores no mundo de hoje. Ações como a deste taxista demonstram o caráter do povo sofrido e trabalhador do Brasil; afinal trata-se de uma quantia substancial para quem ganha em média R$2mil mensais. Porém, como fez questão de frisar: "não era meu esse dinheiro e minha consciência não ia ficar em paz. Não ia poder dormir tranquilo".
Ah! Se nossos políticos também pensassem dessa forma, teríamos mudanças favoráveis a todos. Não estou generalizando, pois sei que há políticos corretos, honestos, que adoecem e perdem a vida por não aceitarem, nem participarem de atos escusos. Entretanto, é importante que este senso de honestidade, retidão e ética envolvam todos, a fim de que se alcance o bem-estar coletivo e todos tenham melhores condições nos diversos aspectos do chamado progresso que envolve o uso de bens públicos, políticas sociais etc.
Enfim, tomara que o exemplo deste cidadão possa servir de norte para as atitudes não só de políticos e governantes, mas também do cidadão comum, isto é, todos e cada um. Assim como o casal se sentiu feliz ao reaver a mochila e todos os seus pertences, inclusive os R$15mil, que todos nós também nos sintamos felizes e orgulhosos, podendo olhar ao redor e dizer:
somos um país de caráter irrepreensível, um país íntegro porque teve a capaz de vencer não só a corrupção, mas também superar o famigerado "jeitinho brasileiro" e não levar vantagem em prejuízo do outro. Enfim, sermos gigantes não só no aspecto geográfico, mas em diversos âmbitos. Esta é a minha esperança.
 
 

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

 

 



 





 

 





 


 



sábado, 15 de junho de 2013

Sem perder o equilíbrio

Diante de tanta violência dentro e fora do país, de modo especial os últimos acontecimentos veiculados em todas as mídias sobre protestos, tumultos em São Paulo, no Rio de Janeiro, guerra no Pasquistão, manifestações na Tunísia e repressões violentas por parte de policiais etc. só contribuem para que cresçam nas mentes e nos corações o medo, a desesperança, a sensação de que tudo está perdido. Estes sentimentos adquirem uma força maior do que merecem e não sem razão, pois é quase impossível afastá-los da mente. No entanto, deixar-se levar por eles é no mínimo um "desperdício da vida" como nos lembra Drumond.
As palavras do escritor fizeram-me compreender que "lutar  pelo melhor" - como ele disse - bem como "acreditar no melhor" contribuem para fazer a vida valer a pena. É manter a luz no fim do túnel, sem perder o equilíbrio e, ao mesmo tempo, indignar-se diante de absurdos como vimos ao longo deste último período, mas é também buscar caminhos que contribuam para uma sociedade justa e equilibrada.
Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

Eis abaixo o que diz Drummond sobre a vida e também sobre se desejar o melhor:
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.
.....
Mas se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor... O melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.
Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Igreja repudia agressão aos moradores de rua

Abaixo está reproduzida a nota de repúdio da Igreja Católica de Marília à violência a moradores de rua no interior de São Paulo. O objetivo não é apenas denunciar, mas sim combater ações deste tipo. Afinal, tendo ou não moradia, tendo ou não condições dignas todos são seres humanos e merecem respeito,  e os mais necesitados são dignos de nossa compaixão e ação no sentido de dar-lhes às condições necessárias para viverem com dignidade a Vida.
Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz) 

“O Evangelho da vida está no centro da mensagem de Jesus. Amorosamente acolhido cada dia pela Igreja, há de ser fiel e corajosamente anunciado como boa nova aos homens de todos os tempos e culturas” (Evangelium Vitae, carta encíclica do Papa João Paulo II, de 25 de março de 1995, n.1). É com base nessa declaração do Papa João Paulo II que hoje a Igreja Católica presente em Marília, vem a público repudiar e manifestar-se determinantemente contra os últimos acontecimentos de maus tratos e violências contra a, já fragilizada, população de rua que, nessa última semana, como acusa a imprensa, foi acometida de brutal violência e privação de liberdade.
Como defensora dos direitos humanos e promotora da dignidade humana, a Igreja Católica reitera suas convicções evangélicas de valorização e promoção da vida e do valor inalienável da dignidade de todo ser humano. Reafirmamos ainda o valor intrínseco e sacral que existe em cada pessoa humana, criada à imagem e semelhança de Deus. E qualquer pessoa, que atente contra a vida humana e agindo grosseiramente contra essa dignidade encontrará veemente adversário no Evangelho de Jesus, o qual direciona e inspira ação e atividades da Igreja Católica. Declarada como perita em humanidade a Igreja Católica, presente em Marília, quer ser irmã, companheira e mãe desses que se sentem ameaçados e violentados. Definitivamente repudiamos atitudes vis como essa referente aos moradores de rua e se, de fato, se comprovar que há envolvimento de setores da administração pública, se torna mais vergonhoso ainda o fato de muitos desses servidores se declarem cristãos e, no entanto, agirem com um comportamento tão irracional e anticristão, como os denunciados via imprensa. Aguardaremos em vigília as investigações e que sejam responsabilizados todos os que promoveram essa violência. Que o Senhor Jesus, que veio para que todos tenham vida, ilumine e faça brilhar o esplendor da sua face, favorecendo a conversão dos corações endurecidos, e promovendo a justiça para todos os homens e mulheres."

Padre Edson de Oliveira Lima, pela Igreja Católica, em comunhão com o Conselho Diocesano de Leigos e a Comissão Justiça e Paz da Diocese de Marília.

DISPONÍVEL EM:


 

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Uma manhã diferente

Imaginem a cena: Av Paulista - 9h da manhã de uma terça-feira muito fria, um distribuidor de propaganda deixa cair toda a papelada na calçada. Uma sra., por volta dos 60 anos, vê o ocorrido. Ela para e decide auxiliar o panfletista, cuja fases ficam rubr pelo nervosismo. Sem dizer uma palavra, a mulher começa a recolher o material disperso entre a Av Paulista e a Rua Hadock Lobo.
Muitas pessoas continuam a transitar ao redor, com passos apressados, indiferentes ao fato. No entanto,  uma outra alma sensibilizada resolve auxiliá-los na tarefa inglória, já que os papéis são lisos e tornam o trabalha bem mais difícil.
Após 30 minutos todos os panfletos estão de volta nas mãos do propagandista que agradece aliviado e oferece a propaganda para suas "salvadoras".
O fato foi real. A atitude das duas mulheres demonstra que, mesmo em meio a correria da megalópole e a dureza de seus transeuntes, ainda existem corações que se deixam tocar por quem, num apelo mudo, precisa de ajuda imediata diante de olhos e passos apressados.
A sensibilidade  pela dor do outro ainda existe e fez pelo menos duas pessoas pararem para socorrer o necessitado não de alimento ou de dinheiro, mas de algo tão simples e tão difícil: disponibilidade para "perder" tempo e auxilar um desconhecido a recolher seu material de trabalho. Ao final daquela meia hora cada um  seguiu seu rumo, mas nos três  transparecia a serenidade de quem está em paz consigo numa manhã fria, cuja atitude aqueceu os três corações sensíveis. Um simples ato que indica ser sempre possível ter esperança, pois em meio as nuvens o sol pode estar brilhando ou pode surgir um arco-íris.

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

terça-feira, 7 de maio de 2013

Acreditar, sonhar, sorrir

Tenha uma comunicação ativa, ou seja, se posicione sobre o que quer que seja.
Alinhe palavras e ações; seja um artífice da paz. Paz que não é ausência de guerra, mas estado de ser.
Ajude a irradiar a paz em todos os ambientes, começando por sua vida interior.
E, assim, colabore na construção de uma nova sociedade, na qual seja possível sonhar, sorrir e acreditar que o mundo novo já existe...

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Viver a vida

Parece uma redundância, mas o fato é que, muitas vezes, passamos pela vida sem vivê-la de fato. Dei-me conta disso ao perceber o impacto que sempre sofro quando encontro ou, simplesmente, vejo alguém com limites físicos. Nesse momento, percebo o muito que tenho a agradecer e nada a reclamar ou murumurar.
Essas pessoas não sabem, mas só a presença delas me ensina muito, sobretudo, ensina-me a entender sempre mais o quanto a vida é um dom gratuito e, portanto, mesmo se me sinto em débito com o mundo, devo agradecer essa preciosa gratuidade divina que me foi dada.
Já algum tempo, percebi que o limite do outro faz-me ver o mundo, a vida como uma generosidade particular e que, justamente por isso, não é necessário se deixar abater pelas dificuldades e contrariedades que se apresentam ao longo de um dia no ambiente de trabalho, estudo ou mesmo numa convivência mais social. Por que se deixar abater com coisas mínimas (ainda que sérias e importantes) quando recebi tanto da vida nos mais variados aspectos? E como resposta a essa pergunta observo as pessoas que, mesmo com limites físicos, muitas vezes estão sorridentes e se esforçam para obter da vida o melhor que ela pode oferecer. E, diante disso, comecei a esforçar-me por viver a vida de forma mais tranquila, olhando a própria natureza que está sempre ao alcance do centro de visão e percepção, seja num dia ensolarado ou chuvoso,  com a mesma magnitude de sua criação. Desse modo, tornei-me mais grata por poder respirar, andar, falar, escrever, ver, ler, pensar, comer, conversar e estar atenta para ajudar no momento presente do meu dia àquele que passa ao meu lado ou junto a mim. Ou simplesmente: viver a vida dentro do ônibus, no carro, o metrô, na sala de aula ou em frente ao computador, mas viver de fato
...

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)

quinta-feira, 7 de março de 2013

O mais importante

Muitas vezes queremos fazer coisas, ter atividades, mergulhamos em pensamentos atrás de pensamentos, sugestões, enfim uma roda viva e esquecemos o primordial em todo e qualquer momento, seja no que for. Por isso, penso que podemos ficar com uma reflexão muito propícia para os dias atuais: É o "Como" que importa me lembrou um amigo.Penso que vale a pena ler o texto dele.
Regina Maria da Luz Vieira (Regiluzviveira) 

         "Há dias em que as coisas — humanamente falando — vão bem, e há dias em que vão menos bem. Repete-se, então, a doce experiência de que, na vida presente que nos é dada, não importa se tudo corre bem ou não; importa como se vive esta vida, porque naquele “como” está a caridade, que por si só dá valor a tudo.
Com efeito, ama a Deus quem observa a sua Palavra .
Nós, durante o dia, devemos lembrar-nos de que não levaremos ao Paraíso nem as alegrias, nem as dores. Também dar o próprio corpo às chamas, sem a caridade, de nada vale .
Nem valem as obras de apostolado. Também o conhecer a linguagem dos anjos, sem a caridade, de nada vale. Nem as obras de misericórdia. Distribuir tudo aos pobres, sem a caridade, não tem valor.
Ao Paraíso levaremos o como tivermos vivido tudo isto: isto é, se tivermos vivido segundo a palavra de Deus, pela qual podemos exprimir a nossa caridade.
Por isso, levantemo-nos cada dia felizes: quer haja tempestade, quer brilhe o sol; e recordemo-nos de que, do nosso dia, valerá o quanto tivermos “assimilados” da palavra de Deus. Deste modo, Cristo naquele dia viverá em nós e Ele dará valor às obras que tivermos feito, através do nosso empenho direto ou com o subsídio da oração e do sofrimento. Essas obras, no final nos seguirão .
Em suma, poderemos apreciar como a palavra de Deus, a Verdade, nos torna livres..., livres das circunstâncias, livres deste corpo de morte, livres das provas do espírito, livres do mundo, que — insidiando-nos — quer roubar a beleza e a plenitude do reino de Deus em nós.
 
(Luiz Collela) 


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Refletindo com Drummond

Carlos Drummond de Andrade é autor de mais de 60 obras, entre contos, poesias, crônicas, histórias infantis e artigos e se estivesse em 2013 faria 111 anos. Sua obras atuais e frases fortes e desconcertantes nos levam a analisar nossos pensamentos e ações. Portanto,

Nada melhor do que refletir com Carlos Drummond de Andrade em frases tão vivas como estas:

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."
.....
"Mas se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor... O melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura."

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Além da mente pensante

A sabedoria não é um produto do pensamento. A sabedoria é um profundo conhecimento que vem do simples ato de dar total atenção a alguém ou a alguma coisa.
A atenção é a inteligência primordial, a própria consciência. Ela dissolve as barreiras criadas pelo pensamento, levando-nos a reconhecer que nada existe em si  e por si.
A inteligência une a pessoa que percebe ao objeto percebido, num campo unificado de percepção. É a atenção que cura a separação.
Eckhart Tolle – O Poder do Silêncio

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Ano Novo! E os problemas?...

Estamos no começo de um novo ano. O espírito de solidariedade paira no ar e ainda bem porque janeiro chegou e com muita chuva, assim como os problemas de sempre: alagamento, enchentes, desabamentos e morte. É triste verificar que, neste aspecto, a situação é a mesma, tanto no Rio de Janeiro como em outros Estados do país.
O mais grave: as localidades mais atingidas são sempre aquelas cujas populações são as mais desprovidas, sejam em cidades turísticas ou não. Provam isto Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro. Enquanto em Caxias há mortos e desaparecidos, além de mais de 4mil desabrigados; em Angra dos Reis estradas estão interditadas, ocorreram desabamentos e  diversas pessoas estão desabrigadas ou desalojadas. Isto, sem falar na Região Serrana onde houve deslizamentos e desabamentos também.
Sabemos que se houvesse o cumprimento da lei que determina a distância de pelo menos 15m para construção, em regiões onde há rios, parte da situação estaria solucionada porque ruas não seriam submersas e não haveriam moradores nas encostas.
No entanto, quem respeita a norma já estabelecida?
Ainda bem que, além da ação do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, existe a solidariedade de famosos ou não que se posicionam para prestar todo tipo de ajuda, desde o transporte para quem está ilhado até a obtenção de medicamentos, água, mantimentos, roupas e utensílios a quem perdeu quase tudo, mas manteve a vida e precisa recobrar a dignidade, a fim de continuar sua caminhada nesta terra. Diante disto, é possível acreditar que há sempre um ser humano capaz de estender a mão para quem precisa, demonstraando que mesmo com problemas velhos, o Ano sempre pode ser Novo.  

Regina Maria da Luz Vieira (Regiluz)